sábado, 7 de julho de 2012

O PEIDO BIBLICO



Adão foi um cara sem infância. Afinal erigido à imagem e semelhança do Senhor, como o foi, não poderia ser de outra forma. Nasceu maduro e desenvolvido. E com todas as características de ser um futuro corno manso. 
Dizem as más línguas, que solto no paraíso e sem nada para fazer, ele um dia descobriu que o macaco tinha achado uma outra finalidade para com o seu pinto. Resolveu experimentar em si próprio e aquilo pareceu diverti-lo, pois, já conhecedor de toda a flora e fauna, precisava de algo que lhe trouxe-se  distintas sensações. E foi ai que o Senhor, para evitar que o primeiro ato libidinoso impetrado pelo nosso mais antigo ancestral, viesse a se tornar um vício, resolveu criar-lhe uma companheira. Para tal, inventor da genética, como o era, o Senhor utilizou-se de uma das costelas de Adão. E foi assim que igualmente desenvolvida, mas longe de ser madura, nasceu Eva.
Se bem que outras opções não houvessem, comenta-se que foi amor a primeira vista. Conheceram-se, tornaram-se amigos, e de mãos dadas eram vistos em todos os rincões do paraíso. Mas levou algum tempo para que Adão descobrisse  que havia em Eva uma função a mais para seu pinto. Quando descobriram,  fizeram aquela “coisa”, amaram-se, pela primeira vez, e como era proibido a utilização de qualquer tipo de preservativo, Eva engravidou. Aquele calombo que ora crescia na altura do abdomem de Eva, deixou Adão apreensivo. Seria seu pinto o causador daquela inflamação? Seria o destino de Eva inflar e explodir? Como livrar sua amada daquele negócio?
A primeira reação de Adão foi apertar o ventre de Eva. O fez por seguidas vezes até que na quinta ou sexta vez, ouviu um estrondo seguido de um cheiro não muito agradável. E foi assim que o primeiro peido da humanidade, foi desferido. Só que Adão não entendeu e Eva muito menos. Aliviada, mas com o mesmo inchaço a altura da região abdominal, Eva olhou para Adão e perguntou.

  - O que foi isto?

  - Não sei. O que sei é que saiu do fundo de você.
Eva que desde sua criação se mostrara dissimulada, se fez de desentendida e com aquela expressão angelical, perguntou.

  - Você tem certeza?
Adão com um aceno afirmativo de cabeça, demonstrou que sim.

  - E você acha que foram estes apertões, que você meu deu?
Adão não só tinha certeza, como nenhuma dúvida, que era preferível deixar sua amada explodir, a ter que sofrer novamente com aquela terrível sensação produzida por aquele tenaz cheiro, que agora entrava em suas narinas. E assim nenhum outro apertão veio a ser dado na barriga de Eva, nenhum outro peido foi desferido pela mesma e ao final de mais alguns meses, nasceu algo pequeno, que não parava de chorar, mijar e defecar. Mas pelo menos, Eva não havia explodido e seu calombo desaparecera. 
Dizem que em hebraico Caim, seria escrito Qayin, o que significaria lança, Todavia, o nome de Caim pode também estar associado a outra forma verbal, como Qanah, que significava provocar ciúmes. Nunca foi determinado quem escolheu este nome, afinal filho feio não tem pai. E Caim era feio, tinha um pinto pequeno, sempre se mostrou um cara meio estranho e revela-se que como Eva deu a luz de pé, ele caiu, dai a escolha do nome ser Caim, que na língua paradisíaca, deveria significar algo como aquele que caiu, ou coisa que o valha.
Caído ou não, Caim era uma peste. Matava todo ser vivente com seus gases, desobedecia a seus pais, gostava de colocar fogo nas coisas, corrompia seus irmãos com pagamentos mensais de coisas que não lhe pertenciam, adorava fazer experiência de dissecação com todo o ser que respirasse, e tinha no estrangulamento sua maior forma de divertimento. Adão não o compreendia. Suspeitava apenas, que da junção daqueles apertões que dera no calombo de Eva, com a batida de cabeça no chão ao de Eva despencar, Caim de alguma forma fora afetado. O tempo provou a ele, que esta não era a verdadeira razão.
Sem sacar ainda, que aquela “coisa”, era a razão da origem daqueles calombos, Eva ficou grávida uma segunda vez. Sem apertos no calombo e agora encontrando uma posição deitada para parir, nasceu outro ser de pinto, a quem deram o nome de Abel. E que por estas coincidências da vida era amável, dócil, muito chegado a seus pais e para desespero do primogênito, tinha um pinto grande e vistoso. O oposto de Caim, que por ele encharcou-se em ciúmes desde o primeiro dia. 
Com as duas experiências, agora escancaradas às suas frentes, Adão e Eva, não precisavam ser gênios, para sacar como as coisas dali para frente deveriam ser feitas. E ademais ter filhos, naquela época não era um problema, pois, não haviam pagamentos da casa própria, despesas com uniformes, cadernos e escola e a comida sobrava por todos os lados. E a partir dai, nasceram meninas e meninos, pois Eva era uma “parideira” de primeira linha e acima de tudo, realmente gostava da “coisa”.
Um dia, chegando sem avisar, Adão resolveu tirar uma prova da fofoca que andava rondando as cercanias do Eden. E viu Eva cheia de intimidades com uma serpente, que nela se enroscava, passando com certa lentidão pelas partes mais intimas. Surpreendeu-se, pois, a sensação que teve, era que a mãe de seus filhos, estava tendo muito prazer com aquele contato. Será que o macaco Lula, estava com a razão? Custara-lhe crer a principio, afinal o macaco Lula era reconhecido por sua demagogia, fraco caráter e pela capacidade que tinha em corromper todo aquele que dele se aproximasse. Mas que mesmo assim, com sua lábia, agradava aos símios, e os tinha nas mãos para poder fazer dele o que quisesse. Para tal distribuía cestas básicas de bananas.
De volta a selva, resolveu saciar sua curiosidade

  - Macaco Lula, que tal é esta serpente?

  - Cumpanheiro. Esta serpente, é homi. Se chama-se Dirceu, e é o pai do Caim. E Caim vai cagar a tua vida e do paraíso, que além de tudo, está cheio de uma ave maldita chamada tucano. Cheio de cores e cum bico maior que eles. Cuidado com estes também. Criticam tudo sem poder provar. - como notou uma certa perplexidade na expressão do primeiro corno da humanidade, o macaco Lula complementou - Escuta aqui ô Adão, você não vê que a Eva é mulher fácil? Foi logo dando para o primeiro que viu... O que se pode esperar de alguém que veio de uma costela?
Era difícil de acreditar, mas o macaco Lula poderia estar certo. De volta a sua maloca, Adão descobriu que Caim, dentro todos os seus filhos era o que destoava em caráter e atitudes. Na verdade, não tinha mal caráter. Pior, tinha completa ausência do mesmo. Era o único que soltava gases, por cima e por baixo, para irritar a todos que o cercavam. Fazia-o com sadismo. E não mais para sua surpresa, era assim mesmo, o grande preferido de Eva, que pelo pilantra, fazia todo e qualquer sacrifício. Até o de fingir não notar as intenções do provável bastardo para com sua irmã, a formosa Avan.
Diz a história que um dia Abel pegou Caim, explicando a Avan de como ela deveria levar a boca seu pinto, como se fosse uma jaboticaba, sem morder. Os dois brigaram e Abel levou a melhor. Era menor em tamanho, porém maior em força, coragem e determinação. A partir daí, Adão não teve mais dúvidas, Abel era seu filho e Caim era da serpente.
Mas para se vingar, a história retrata que Caim um dia pegou Abel desprevenido e lhe deu com uma pedra na cabeça. O que mais tarde foi descoberto, com mais uma das representações dadas pelos livros sagrados, em sua habilidade de dourar a realidade. Na verdade, Caim, que era hábil na arte da fratulência, aproveitou-se de Abel ter um sono pesado, e peidou junto ao nariz do irmão, que morreu asfixiado. Este foi o primeiro homicídio da história humana e a verdadeira arma foram os gases fecais de Caim, e não a pedra defendida pelos livros sagrados. Compreendo que explicar a real versão do acontecido, em um livro sagrado, seria dose! 
Malandro como era, Caim sacou que o castigo viria de alguma forma: ou por seu pai oficial Abel, ou por aquele tal do Senhor, que nunca vira, mas que por todos era respeitado. E naquela mesma noite, na calada da mesma, sequestrou a Avan, transformando-a em sua amante, e impetrando assim o primeiro incesto de nossa história. E pôs o pé na estrada. Encontrou a Terra da Fuga, reconhecida como o Nod. Com o nascimento de seu primeiro filho, Henoc, cujo apelido era o Dirceuzinho, em homenagem a seu pai biológico, decidiu criar raízes e formar uma cidade, que os livros sagrados teimam em dizer tratar-se de Henoc. Não é verdade, depois de ter vários filhos, quase todos machos com sua mulher Avan e duas de suas filhas, que por razões de discreção aqui me recuso a citar seus nomes, ele os fez erigir seu sonho. A todos chamava de candangos e ele construiu no meio do nada, algo que se chamou Brasilia, um templo à corrupção, demagogia, a seu pai biológico e onde a lei, ou melhor a falta da mesma, era por ele ditada.
Dizem os antigos que o castigo vem a cavalo e quem envenena, bebe do mesmo veneno. No caso de Caim, o cavalo custou a chegar, mas o veneno não. Um dia, quando dormia, teve um sonho estranho. Soltou um fulminante peido, que o fulminou, já que com o deslocamento do ar, fez o teto cair sobre sua cabeça, e como o irmão que assassinara, morreu por insuficiência respiratória. Mas infelizmente, deixou imensa prole, que não foi dizimada como defendido nos livros sagrados, com o evento do diluvio, que fez Noé construir seu barquinho. do qual seus mais importantes descendentes foram Nero, que dele pegou o cacoete de colocar fogo em tudo, Hitler que adorava a utilização de gases para eliminação de seu próximo, Jack o estripador, que estrangulava suas vitimas, Joseph Mengele, que tinha prazer em fazer experiências com o gênero humano e muitos que o copiaram e assim inventaram o mensalão.
Por nunca ter soltado um peido sequer, consta que Adão morreu aos 130 anos, mesmo tendo sido expulso do paraíso. Não é conhecido o paradeiro de Eva, que com saudades de Caim, passou a se utilizar daquilo que tinham em comum; a arte da fratulência. 
Segundo o macaco Lula, a serpente abandonou Eva e depois daquela história mal contada da maça, o Senhor decidiu dar um fim a toda aquela história, que ele mesmo criou e agora se arrependia. Mas o que fazer, se agora tinha criado uma tal de humanidade?

Um comentário: